ÁLCOOL E DROGAS NO AMBIENTE DE TRABALHO

ÁLCOOL E DROGAS NO AMBIENTE DE TRABALHO

A problemática do consumo de álcool e outras drogas afeta não apenas as famílias dentro de seus lares, mas a sociedade como um todo, inclusive o ambiente de trabalho.

A cada dia que passa fica mais comprovado que o consumo de álcool e outras drogas afeta a vida de boa parte dos 82 milhões de trabalhadores brasileiros. As empresas tem tido prejuízos enormes por conta da dependência química e alcoólica de seus funcionários. Segundo cálculos do Banco Interamericano do Desenvolvimento (BID), o Brasil perde por ano US$ 19 bilhões, devido ao absenteísmo, acidentes e enfermidades causadas pelo uso de álcool e outras drogas.

Estatísticas recentes apontam o Brasil entre os cinco primeiros no mundo em número de acidentes no trabalho. São em média 500 mil por ano e 4 mil deles resultam em mortes.

O problema da dependência de álcool e outras drogas no ambiente de trabalho vem sendo motivo de preocupação há algum tempo, tendo obtido a atenção do Governo, que através do Ministério do Trabalho e Emprego e do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, instituiu através da Portaria Interministerial TEM/GSI no. 10 de 10.07.2003, que as empresas desenvolvam atividades educativas e de conscientização quanto ao uso recreativo, abuso e dependência de substâncias psicoativas no trabalho, buscando desenvolver um trabalho de prevenção da saúde e integridade física dos trabalhadores, conforme disposto no NR5 – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA).

Algumas empresas de visão mais ampla, que sabem da importância de seu capital humano, vão além das expectativas, desenvolvendo Política Antidrogas, focando não apenas a conscientização e prevenção, mas o tratamento de seus funcionários já acometidos pela doença, pois o custo causado pela demissão do funcionário qualificado  e contratação e treinamento de novo funcionário é muito maior do que o despendido em sua recuperação.