AMAR É SABER DIZER NÃO

AMAR É SABER DIZER NÃO

Não existe família que se mantenha saudável, unida e centrada quando um de seus membros adoece por alcoolismo ou dependência química. A tendência natural é de desenvolverem teorias pessoais e atuarem embasados neste “achismo”. Consequência? Desarmonia, raiva e distanciamento dos familiares.

Quando falamos em dependência de álcool e drogas, nos referimos a uma doença, que deve ser tratada por profissionais da área da saúde como psicólogos, psiquiatras, clínicos gerais, enfermeiros, terapeutas ocupacionais, entre outros, conjuntamente. Não adianta brigar, discutir ou impor sua maneira de pensar, julgando uns aos outros; o melhor é buscar orientação profissional.

A ajuda profissional não se restringe ao paciente acometido pela dependência, mas também a família que, pelo vínculo afetivo, age através da emoção, deixando a razão de lado. Não se auxilia o dependente através da omissão, mantendo-se próximo para mostrar carinho e, quando o dependente utiliza sua droga de preferência, o agride e humilha.

Um câncer não é curado por amor a alguém, mas por amor a si próprio com o auxílio da medicina e de uma equipe multidisciplinar.  Um dependente não vai parar com sua obsessão e compulsão pela droga por algum familiar demonstrar abnegação e excesso de carinho. É necessário mostrar o amor através de uma conduta firme e objetiva, forçando o paciente a perceber a necessidade de um tratamento.

Não há necessidade do alcoólico ou dependente químico perder emprego, amigos, família, saúde, tudo,  para então ser auxiliado; se a família se unir e buscar auxílio para agir de maneira adequada, pode ajudar efetivamente no problema e interromper a evolução desta patologia.

Amar também é saber dizer não, é mostrar-se ciente de seu consumo de álcool e/ ou drogas, não sendo conivente com esta conduta.

Se você gostou deste post curte no seu perfil do facebook.