DEPRESSÃO NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA

DEPRESSÃO NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA

A depressão é um transtorno que pode ocorrer tanto na infância como na adolescência e são semelhantes (não iguais) as ocorridas em adultos, sendo muitas vezes,  negligenciadas devido ao desconhecimento dos sinais e sintomas.

Cada etapa do desenvolvimento humano tem um padrão de funcionamento considerado saudável, associado a características normais, sendo assim, a manifestação da depressão na infância e na adolescência, difere de acordo com a idade e o nível de desenvolvimento do mesmo.

Temos como sintomas óbvios a tristeza e o sentimento de infelicidade, ponto onde se assemelha a depressão no adulto, mas estes sentimentos na infância e na adolescência podem se associar a outros distúrbios como a anorexia nervosa, a falta de atenção, a fobia escolar, a distúrbios de conduta, a hiperatividade, manifestação de doenças somáticas, fases iniciais da psicose e distúrbios obsessivos e compulsivos.

Em bebês e crianças pequenas, a depressão é manifesta através de distúrbios alimentares, incapacidade de ganhar peso, atraso no desenvolvimento e uma tendência a doenças persistentes. Na adolescência, pode estar relacionado a distúrbios alimentares, suicídio, abuso de álcool e drogas, crimes violentos, entre outros.

Pais devem estar atentos a indícios precoces bastante importantes na detecção da depressão em seus filhos pequenos, como uma reação emocional exagerada associada a uma ansiedade de separação; a dependência excessiva de pais ou outro adulto, principalmente durante a noite, associados a pesadelos e terror noturno.

É muito importante pais e educadores conhecerem alguns destes indícios e encaminharem a criança ou adolescente ao psicólogo para uma avaliação mais aprofundada a fim de possibilitar um tratamento terapêutico efetivo através da psicoterapia, para não comprometer seu desenvolvimento e encaminhar ao tratamento mais adequado.

Inicialmente o tratamento se da através da psicoterapia com utilização de algumas técnicas como a ludoterapia, psicodrama e treinamento de habilidades sociais, utilizada como fator de proteção para evitar a reincidência da depressão. Os pais também devem participar do tratamento, onde receberão orientação do psicólogo sobre como ajudar seu filho a evitar padrões de comportamento semelhantes de reação depressiva e a lidarem com seus próprios sentimentos de impotência. E em último caso, quando realmente necessário, o encaminhamento ao psiquiatra infantil para a introdução de medicação.


Elizabeth Cristina Hiller

Psicóloga – CRP 06/58.203

 

Se você gostou deste post curte no seu perfil do facebook.