DROGA NATURAL!

DROGA NATURAL!

Tento entender o significado dado por “usuários” de maconha como “droga natural” inofensiva, mas não consigo enxergar outra situação que não uma racionalização esfarrapada para justificar seu uso e minimizar seus danos. Droga é Droga! Não existe droga que por ser “natural” não prejudique; se fosse assim, animais e insetos peçonhentos não causariam danos físicos e até fatais, assim como a Cicuta, gênero de planta apiácea, altamente venenosa, utilizada pelo filósofo grego Sócrates ao ser acusado de ateísmo em sua época.

Não se pega uma planta que possui inúmeros compostos químicos para se tirar proveito de apenas uma, sem que haja todo um trabalho farmacêutico adequado e controlado. Ninguém sai comendo um pé de rainha-dos-prados, também conhecida como  filipendula ou barba-de-bode quando está com dor de cabeça! Simples, é dela que se retira o ácido acetil  salicílico, sim a “Aspirina”; a aranha Phoneutria nigriventer, popularmente conhecida como aranha Armadeira, bastante comum no Brasil e causadora de inúmeros acidentes, sendo sua picada dolorosa e perigosa, possui uma característica interessante em uma de suas toxinas que faz com que os níveis de óxido nítrico  – substância capaz de aumentar o fluxo sanguíneo – aumente, causando um efeito peculiar nos homens! Uma ereção longa e dolorosa. Esta característica fez com que indústrias farmacêuticas demonstrassem interesse em estudar tal substância e quem sabe, desenvolver uma medicação para evitar distúrbios de ereção. Outra substância encontrada no veneno deste aracnídeo, o Tx3-6 e hoje conhecida como Phα1β, é tão eficaz quanto à ziconotida e a morfina em causar analgesia (eliminar a dor), porém, sem os efeitos colaterais desagradáveis e principalmente sem criar a dependência em seus usuários. E aí! Vai uma “Armadeirinha”?

Estes são um pequeno exemplo de inúmeras “drogas naturais” existentes, mas que por não dar “barato”, não são utilizadas.

A Cannabis Sativa tem sim seu mérito, mas para fins medicinais devido a um de seus componentes, o Canabidiol que é extraído da planta e que pode ser utilizado no tratamento de doenças como epilepsia, esquizofrenia, mal de Parkinson e dores neuropáticas, ainda em estudo no Brasil.

Meus queridos dependentes de Maconha, por favor, saiam de seu autoengano e busquem ajuda.  A maconha, segundo pesquisas recentes  e a própria experiência clínica nos mostra, é que nos deparamos  com um Contexto Social  e Clínico caracterizado por: 1. Banalização; 2. Desinformação; 3.Enganos propositados; 4. Ganância comercial; 5. Glamourização; 6. Idealização; 7. Ideologização; 8. Ingenuidade 9. Maconha muito potente; 10. Disponibilização da Maconha.

Agora! O que a maconha está fazendo com o usuário?

  1. Divertindo; 2. Reduzindo tensão; 3. Socializando entre iguais; 4. Reduzindo impostos produtivos; 5. Reduzindo até 5 pontos de QI; 6. Croníficando autoindulgência; 7. Interagindo com álcool, cocaína, LSD, êxtase, club drugs e outras drogas; 8. Psicotizando com difícil reversão; 9. Usuários pesados de cannabis apresentaram áreas cerebrais como hipocampo e amígdala menores; 10.  Usuários recentes piores do que os não usuários em vários domínios cognitivos de atenção / memória de trabalho a velocidade de processamento de informação e funcionamento executivo.
    A Cannabis Sativa tem sim seu mérito, mas para fins medicinais devido a um de seus componentes, o Canabidiol que é extraído da planta e que pode ser utilizado no tratamento de doenças como epilepsia, esquizofrenia, mal de Parkinson e dores neuropáticas, ainda em estudo no Brasil que devem ser ingeridas em doses certas.

Então! A Maconha continua sendo uma droga natural e inofensiva pra você!

Se você gostou deste post curte no seu perfil do facebook.